Esqueci a senha Associe-se

Notícias

5 passos para sua empresa não sucumbir na crise

O Engenheiro mecânico e diretor da Soldatec, Ricardo de Oliveira, está representando a empresa associada da RedePETRO Pernambuco e explica táticas que ele utilizou na empresa para que essa se esquivasse da crise

O Engenheiro mecânico e diretor da Soldatec, Ricardo de Oliveira, está representando a empresa associada da RedePETRO Pernambuco e explica táticas que ele utilizou na empresa para que essa se esquivasse da crise.

 

Ao contrário do que a maioria das empresas relatam, as dificuldades decorrentes da instabilidade dos negócios não afetou diretamente à empresa Soldatec, pois medidas acauteladoras tomadas pela direção da empresa tornaram possível evitar os contratempos impostos à maioria dos empresários, fazendo com que suas decisões tenham surtido efeito na hora certa.

 

O 1° Passo foi reconhecer que a forma de condução das empresas que se destinaram ao estado não tinham o menor interesse em facilitar a vida dos empresários já estabelecidos. Em sequência focar no mercado local tradicional, reconhecendo ser eles o motor que até então eram fontes geradoras de emprego e impostos.  A ilusão de que os investimentos governamentais provocariam o resgate imediato dos negócios no contexto estadual, fizeram muitos de nós investir alto para atender à futura demanda e sem se preocupar com as questões políticas que envolviam tais obras. Assim, o fortalecimento das relações com clientes tradicionais, foi talvez a melhor saída para o quadro apresentado.

 

Muitas empresas tiveram que se adaptar para atender essas grandes demandas dos setores de petróleo e gás, naval, etc., na esperança de dias melhores, e esqueceram do mercado local tradicional, que são as empresas, que na prática, estão movimentando o capital, como a Soldatec.  Segundo o diretor da empresa, a falta de atenção com os clientes tradicionais, os tirou do foco e os fez reféns da nova situação, mas a Soldatec manteve se foco no mercado local.

 

“Em Suape, o fornecimento de produtos às empresas novas que chegaram, faziam-nos refém desta. Com pouco capital de giro, qualquer inadimplência nos tornava frágeis nas negociações. No primeiro sinal, sentimos que não poderíamos suportar o montante de dívidas. O prejuízo em negociações passou a ser evidente, e assim acendeu a luz de alerta. E foi aí que seguimos com o plano de focar  na economia regional”, reforça o diretor.

 

O 2° passo é oferecer boas condições comerciais para seus clientes. A flexibilização nas negociações com clientes tradicionais, cujo conhecimento já nos permite avaliar o risco, tornou-nos mais forte junto a este, e o reconhecimento destas ações nos tornou mais parceiros ainda. Combater a inadimplência deveria ser o objetivo neste período conturbado. Este talvez seja o motivo de tantos fechamentos e falências no setor. Ai se desenvolveu processos individualizados para atender a cada caso de maneira particular. Assim as alternativas começaram a aparecer, e assim nos aprimorando nas mesmas, para os clientes que tem dificuldade financeira possam fazer a sua manutenção e serviço”, argumenta o Ricardo.

 

O 3° passo consiste em oferecer condições especiais que os façam sempre recorrer à nossa empresa. A entrega personalizada, o estoque adequado às suas necessidades produz efeitos interessantes nos custos das empresas, pois envolve diretamente o capital de giro com estoques. Nesse ponto estamos sempre atentos ao planejamento futuro de cada cliente, individualmente. Isso faz muita diferença!

 

O 4° passo é se associar à entidades influentes, que no caso da Soldatec, que buscou na RedePETRO Pernambuco o suporte que faltava. Os treinamentos individualizados, reuniões de negócios, participação em feiras e eventos profissionais aumentam o relacionamento e com isso o consequente crescimento. A empresa tornou-se leve, mais conhecida e mais reconhecida no mercado. Associações com a SBRAE, por exemplo, modificaram totalmente a forma de operar, e os controles passaram a ser mais claros e permanentes.

 

O 5° passo, último mas não menos importante é estar atento às mudanças de mercado, que sinaliza posições, às vezes imperceptíveis. A mudança de estratégia deve ser acompanhada pelo olhar crítico do empresário. “Aqui, percebemos que dentro de um mesmo cliente existem um mar de oportunidades que podem nos fazer crescer. Nos tempos da “vacas gordas” não damos muita importância, mas saber a hora da mudança é fundamental. Estabelecemos uma estratégia de buscar novas oportunidades dentro do mesmo cliente. Assim multiplicamos nossa capacidade de produção sem alterar os custos. Dizer que a situação atual não nos incomoda é lutar contra as evidencias, mas com muito trabalho poderemos encontrar soluções ao longo de nossas vistas”, informa Ricardo com otimismo!

 

Esses foram os 5 passos básicos que o diretor encontrou para manter sua atividade nestes tempos indefinidos. “Não gosto muito da palavra “crise”, apesar de saber que seu significado em grego é “oportunidade”, mas aqui no Brasil tem outra conotação, e eu prefiro pensar e agir diferente pra não me contagiar.” finalizou Ricardo.

 

A SOLDATEC COMERCIO, REPRESENTAÇÃO E SERVIÇOS LTDA está  no mercado há mais de 14 anos, e declara que muitos trunfos foram frutos de ser associada da RedePETRO Pernambuco, que abriu portas através dos projetos e consultorias do SEBRAE. A empresa está situada na Av. Historiador Jordão Emerenciano, nº 751, Iputinga/Recife, atua na área de vendas, representação, serviços e consultoria na aplicação de produtos metalúrgicos de solda e outros ligados à manutenção industrial. Para saber mais acesse: http://www.soldatec-pe.com.br/.

Página Relacionada: www.soldatec-pe.com.br

Matéria no NoticiadorWeb: 5 passos para sua empresa não sucumbir na crise

Autor: Ramone Soraia

Data de Publicação: 14/03/2016

Esta notícia já foi visualizada 2374 vezes.

Esta notícia ainda não tem comentários.

Deixe um comentário

Nome 
E-mail 
Telefone 
Desejo receber notificações se alguém mais comentar a noticia.



Outras Notícias

Ver mais notícias
Facebook